A Pandemia e as Estratégias Educacionais | HUMUS

A Pandemia do Novo Coronavirus e as
Estratégias Educacionais

Boas práticas em meio à dificuldade

Quarentena coloca ensino a distância em destaque

A interrupção das aulas presenciais tem preocupado pais, alunos, professores e getores. Se por um lado a medida auxilia a conter a propagação do coronavírus, por outro a aprendizagem sofre grandes impactos. Em meio às incertezas dos cenários nacional e global, algumas escolas optaram pela antecipação de férias, enquanto outras viram no ensino a distância a possibilidade de diminuir os efeitos negativos da quarentena no calendário pedagógico. 

O ensino a distância foi visto como opção pelas escolas tendo como base a experiência de outros países que também estão lutando contra a expansão do covid-19. Segundo levantamento feito pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), ao redor do mundo, mais de 1,4 bilhão de crianças e adolescentes, de mais de 150 países, estão afastados das escolas e universidades. A Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) indica que desse número, 154 milhões são estudantes da América Latina e Caribe. [Dados atualizados em 26/03]

Na China, onde as escolas estão fechadas desde o dia 9 de fevereiro, foi lançada uma plataforma nacional de ensino. A ferramenta disponibiliza conteúdos educacionais de diversas áreas e em diferentes formatos, como vídeo aulas, filmes e jogos. A UNESCO também organizou uma lista de plataformas e mecanismos de aprendizagem para tentar diminuir os impactos da perda de aulas presenciais nesse ano letivo.

 

Continue lendo a matéria no blog da Melhor Escola: https://www.melhorescola.com.br/blog/ensino-a-distancia-um-pode-ser-opcao-durante-a-quarentena-de-coronovirus/