top of page

Educação e Informação

Educação Corporativa: A Hora da Verdade

A maioria dos programas de educação empresarial visa formar líderes e gestores para uma realidade que já não existe mais.


A necessidade do atrelamento desses programas com as estratégias e com a cultura das empresas não se constitui em novidade. Trata-se de uma batalha antiga. Infelizmente pouca coisa mudou nas últimas décadas. A maioria das disfunções continua com uma atualidade desconcertante. O desalinhamento com a estratégia do negócio e com o jeito de ser de cada empresa é mais regra que exceção.


É certo que algumas empresas cresceram e até umas poucas evoluíram com base em programas bem concebidos e executados. Porem, salvo as que podemos contar nos dedos, as mudanças ocorridas têm sido mais adjetivas que substantivas, mais tópicas que de fundo.

Em alguns casos até mesmo uma “caixinha” com nomes da moda passaram a marcar presença nos organogramas como uma maneira de demonstrar o alegado comprometimento da direção das empresas com a formação do seu patrimônio humano. Mas sabemos que a mera criação de órgãos – reflexo da nossa herança colonial -- nunca assegurou a solução de problemas nem o encaminhamento de desafios.


Em outros casos foram criados títulos pomposos, mas também sabemos que a simples mudança de rótulo nem sempre reflete a melhoria na qualidade do produto.


O que mudou , e muito, foi o valor investido nesses programas. Verdadeiras fortunas tem sido gastas, mas a grande parte das iniciativas continua desvinculada das verdadeiras necessidades estratégicas que afligem as empresas e pouco tem acrescentado aos resultados dos negócios.


Torna-se necessário repensar a Educação Corporativa em função do somatório de novas e mutantes circunstâncias, dotando-a de programas que além de umbilicalmente ligados à estratégia , à cultura e às prioridades da empresa, sejam formatados com características que enfatizem…

…mais o Pensar do que o Fazer, ou seja desenvolvendo uma mentalidade (o why) em vez de apenas transmitindo o domínio de técnicas e ferramentas (o know how);

…mais a Aprendizagem do que o Ensino;

…mais o Futuro do que o Passado, pois não podemos dirigir empresas olhando pelo espelho retrovisor e precisamos capacitar pessoas para a realidade 2025-2030 e não apenas para resolver os problemas imediatos;

… mais a capacitação dos gestores para liderar organizações virtuais e em rede do que para comandar estruturas ultrapassadas e entropicas;

… mais a capacidade de aprendizagem contínua ao longo da vida de cada um, do que apenas o ensino saberes pontuais;

…mais a habilidade de cada líder de formar novos líderes do que apenas treinar seguidores

…mais o empresariamento exponencial do que o gerenciamento tradicional baseado na filosofia do comando e controle.


Além de tudo isso os programas precisam ser customizados, oferecendo mais um leque de opções para que cada um se sirva de acordo com suas necessidades peculiares de desenvolvimento — filosofia do self Service, em vez dos tradicionais pratos prontos do serviço “a la carte”.


Em resumo, a Educação Corporativa precisa ir muito além da sala de aula, transcendendo os muros do ensino tradicional e investindo no desenvolvimento, em todos os níveis do patrimônio humano da empresa, na capacidade de cada um “aprender a aprender”


Uma visita aos jardins do parque arqueológico aonde foi fundada a Academia de Platão, em Atenas, pode, ironicamente, trazer luz para a concepção de programas de Educação Corporativa nesse volátil, veloz e disruptivo momento em que vivemos. Afinal, esse local hospedou a primeira instituição de ensino superior do mundo. Criada em torno de 385 a.C. — ou seja há quase 2500 anos atrás, o conjunto de filósofos liderados por Platão estavam mais focados na Arte de criar condições de Aprendizagem sobre os desafios do mundo em que viviam e também sobre si próprios — aprimorando o AutoConhecimento, do que empenhados em tentar simplesmente Ensinar técnicas pontuais aos seus discípulos.




CÉSAR SOUZA, Presidente do Grupo Empreenda, consultoria em Estratégia Empresarial e Desenvolvimento Humano. Membro do Conselho de Administração de Diferentes empresas e do Conselho Estratégico da ABRH Nacional.

39 visualizações0 comentário

Comments


categorias
Categorias
Especial
A Pandemia do Novo Coronavirus e as Estratégias Educacionais
logho.png
Telefone:
(11) 5535-1397
Endereço:
Al. dos Pamaris, 308 - Moema - São Paulo - SP
CEP:
04086-020
WhatsApp:
(11) 96855-0247
bottom of page