top of page

Educação e Informação

Superando a solidão docente: como manter a equipe engajada com uma formação continuada ativa e inspi

O que é a solidão docente?


Por incrível que pareça, a docência pode ser uma profissão solitária. Apesar de estarem cercados por alunos e colegas na sala dos professores o tempo todo, muitos professores estão, na verdade, isolados, sem uma conexão real com o mundo exterior, e com poucas oportunidades de interações significativas.


A docência é, sem dúvidas, uma profissão gratificante, mas também pode trazer uma fatia de solidão. A solidão docente é o sentimento de isolamento e falta de conexão sentidos por professores em relação ao trabalho, às suas responsabilidades profissionais e à sua carreira. É um estado de alienação e isolamento que afeta a satisfação profissional, a motivação e a produtividade. Muitos professores se sentem apartados, incapazes de construir relacionamentos significativos com sua comunidade. Os professores também podem se sentir desligados do mundo exterior, com acesso limitado às oportunidades de desenvolvimento profissional e pouco tempo para dedicar às suas vidas fora da escola.


Assim, solidão docente pode ter um grande impacto sobre a saúde mental e no bem-estar dos professores, podendo levar a sentimentos de depressão e ansiedade, bem como a uma falta de motivação e energia, e sobretudo, podendo afetar o seu desempenho na sala de aula.


O que causa a solidão docente?


Há uma série de fatores que podem contribuir para a solidão docente, desde a falta de suporte oferecido pela escola, a falta de feedback, a falta de apoio de outros educadores e a falta de uma comunicação efetiva. Uma das principais causas, no entanto, é a falta de relações significativas dentro da comunidade escolar. Isso pode ser causado devido ao fato de que a docência é uma profissão majoritariamente individual, com professores passando grande parte de seu tempo na sala de aula com seus alunos, e pouco tempo em interações com seus colegas. Além disso, a solidão docente pode ser decorrer de sobrecarga de trabalho, de falta de autonomia na tomada de decisões, ou ainda de um sentimento geral de desvalorização por parte dos empregadores.


Uma outra causa da solidão docente é a falta de oportunidades de desenvolvimento profissional. Muitos professores sentem que não são apoiados pelos seus empregadores em sua jornada de desenvolvimento profissional, e são incapazes de acessar recursos e conhecimentos que podem ajudá-los a se tornarem melhores educadores. Nesse sentido, a paisagem educacional em constante mudança acentua este cenário, e os professores podem se sentir assoberbados, incapacitados e solitários. Todos esses fatores podem criar um sentimento de desconexão e podem levar a uma diminuição da motivação, insatisfação no trabalho e redução da produtividade.


Como combater a solidão docente?


A formação continuada é uma das principais formas de apoiar os professores e reduzir a solidão docente. Ela fornece recursos e conhecimento para que eles possam melhorar suas habilidades e práticas. Ela se dá por meio de programas que envolvam workshops, seminários, programas de certificação, cursos de formação e assessoria pedagógica. Esses programas permitem que professores compartilhem seus conhecimentos e experiências com outros, o que pode ajudar a construir uma comunidade de educadores que se apoiam mutuamente. Além disso, a educação continuada também pode ajudar os professores a se manterem motivados e comprometidos com sua carreira.


Os principais benefícios da formação continuada para docentes são: maior adaptabilidade às mudanças educacionais, maior facilidade em lidar com situações inesperadas, melhora na qualidade do ensino, melhora na gestão dos alunos, adoção de novas práticas pedagógicas, maior alinhamento aos objetivos da escola, aprimoramento da percepção sobre as dificuldades de aprendizagem dos alunos e evolução constante do profissional. A formação continuada também ajuda os professores a se manterem atualizados com as últimas tendências e desenvolvimentos na educação, o que certamente pode ajudá-los a permanecerem engajados e motivados. Além disso, o fato de que a formação continuada pode ajudar os professores a construírem relacionamentos com outros profissionais da área, pode ajudar a reduzir os sentimentos de isolamento e solidão docente.


Uma formação continuada para professores ativa e inspiradora, no entanto, deve levar em consideração as necessidades e interesses específicos do corpo docente. Deve haver um equilíbrio entre o desenvolvimento de habilidades técnicas e o desenvolvimento de habilidades humanas. Os professores devem ter a oportunidade de participar ativamente na escolha dos tópicos de interesse no desenho de um programa. A formação continuada deve também levar em consideração o cenário global, as tecnologias disponíveis, e as novas tendências educacionais. Ela também deve incluir atividades práticas e mão-na-massa, como discussões, estudos de caso, projetos e atividades de colaboração, para que os professores possam aplicar efetivamente o que aprenderam. Sobretudo, programas de formação continuada devem oferecer aos professores a oportunidade de vivenciarem as habilidades que estão desenvolvendo na prática, sendo expostos a novos conteúdos e informações, praticando o que aprendem, recebendo feedback constante sobre sua prática e refletindo sobre como isso se encaixa em um contexto mais amplo. A formação continuada também deve oferecer aos professores a oportunidade de incorporar os novos conhecimentos ao seu dia a dia na escola, e de usar esses conhecimentos para resolver problemas.


Qual é o papel da escola?


As escolas têm uma responsabilidade fundamental na formação continuada dos professores. Essa responsabilidade envolve fornecer programas de qualidade, bem como incentivar os professores a aderirem a esses programas e monitorar seu desempenho.


Para a escola, as vantagens também são inúmeras, como o aumento da qualidade do ensino e satisfação de alunos e pais, a evolução contínua dos professores para atenderem às constantes mudanças na educação, a melhoria das práticas pedagógicas e aumento de resultados acadêmicos, o aumento da motivação e retenção dos professores e a preparação para o uso de novas tecnologias.



Afinal, a formação continuada é uma relação ganha-ganha?


Sim, definitivamente. A solidão docente pode ser um problema difícil de ser superado, mas é possível com as estratégias e recursos corretos. A formação continuada ativa e inspiradora é uma das principais formas de apoiar os professores e de reduzir a solidão docente. A decisão de investir em formação continuada proporciona aos professores recursos e conhecimentos para que eles possam melhorar suas habilidades e práticas, o que gera resultados positivos para toda a comunidade escolar. Dessa forma, com o investimento em programas de formação continuada os professores conseguem ajudar as escolas a atingir objetivos amplos, como o desenvolvimento acadêmico dos alunos e cumprimento de metas de resultados, a identificação de problemas e oportunidades, a criatividade para gerar soluções únicas e inovadoras, a ampliação e fortalecimento das relações significativas com todos os stakeholders internos e externos e o reconhecimento no mercado.


HENRIQUE MOURA, Diretor de excelência educacional do grupo SEVEN, fará parte do Painel: A solidão docente – como oferecer uma educação continuada, ativa e inspiradora, no I Fórum A Nova Sala de Aula

85 visualizações

Comments


categorias
Categorias
Especial
A Pandemia do Novo Coronavirus e as Estratégias Educacionais
logho.png
Telefone:
(11) 5535-1397
Endereço:
Al. dos Pamaris, 308 - Moema - São Paulo - SP
CEP:
04086-020
WhatsApp:
(11) 96855-0247
bottom of page