mkt 7 | humus

ARTIGOS

Marketing e Comunicação

A retenção de alunos e o sistema de alarme preventivo

Por que a IES numa perspectiva de retenção deve dar mais importância ao primeiro ano do curso?

A principal resposta para essa questão é que a taxa de evasão costuma ser maior nos dois primeiros períodos. O sentimento de perda financeira e de tempo ainda é menor quando a desistência ocorre no começo do curso.

Por isso, a atenção com os alunos do primeiro ano tem que ser redobrada para evitar evasão. A instituição deve planejar o primeiro ano do curso como uma unidade distinta em termos de organização e orientação pedagógica.

É muito importante um trabalho preventivo com os alunos, o sistema de alerta preventivo. Para isso, a IES precisa montar um escritório ou comitê de retenção, tendo como uma das principais atividades o monitoramento. O aluno precisar ser monitorado todo o tempo. As palavras-chaves nesse sentido são identificação e intervenção. Ao menor sinal de evasão, ele deve ser abordado e apoiado quanto à sua dificuldade.

 

Os alunos precisam ser identificados enquanto existe tempo de conseguirem recuperar as suas notas. Alguns precisarão de uma revisão de conteúdo, outros podem precisar de um reforço de disciplinas básicas ou de uma orientação de como planejar os seus estudos. Cada estudante tem uma necessidade específica e demanda um tratamento diferenciado.

Professores que dão aulas no primeiro ano têm o dever de acompanhar atentamente o comportamento dos seus alunos em sala de aula e apresentar um relatório periódico ao comitê de retenção.

Na implantação do sistema de alarme preventivo, a IES deve tomar as seguintes providências:

- Trabalhar com os professores e funcionários sobre a importância de sua cooperação em relação à identificação do aluno em risco de evasão, conscientizando-os que eles são peças fundamentais no processo, e que a retenção é um bem comum por se tratar da sustentabilidade da instituição. O não envolvimento dos professores poderá prejudicar os esforços institucionais com relação a este objetivo.

- Automatizar o sistema de alarme preventivo de forma que as principais informações sobre o estudante estejam disponíveis para os membros do comitê responsável pelo monitoramento.

- Estabelecer estratégias eficazes que façam diferença na retenção do aluno.

- Promover o equilíbrio entre desafio e apoio para o aluno alcançar o seu sucesso.

- Aplicar uma investigação acadêmica inicial para verificar o domínio do estudante quanto aos conteúdos básicos e necessários para o seu curso.

Quais ações preventivas podem ajudar na retenção dos ingressantes?

- Sensibilização – O aluno precisa ser sensibilizado de que está numa nova fase de sua trajetória acadêmica, e que só alcançará o sucesso nesta e na vida profissional dedicando-se de forma planejada para atingir os seus resultados.

- Orientação – A IES deve munir o estudante de todas as informações e orientações que ele necessita para se ambientar na vida acadêmica. Muitos ingressam no Ensino Superior sem ter ideia do que precisam para ter sucesso. O universitário tem de saber como funciona o sistema de avaliação, estágio, processo de oferta das disciplinas, empréstimo da biblioteca e diversos outros pontos importantes para a sua adaptação.

- Embasamento – É comum, atualmente, a entrada de calouros no ensino superior, principalmente, no setor privado, que não dominam os conhecimentos básicos de português e matemática. Para trabalhar o sucesso e a retenção, a IES precisa promover cursos para prover os alunos dos conhecimentos que eles necessitam.

- Comunicação – A comunicação com os alunos ingressantes é fundamental para municia-lo de todas as informações necessárias para sua rápida adaptação.

- Integração – A integração entre alunos, e deles para com professores e funcionários, permite a socialização, ambientação e sentimento de pertencimento do estudante.

- Prioridade – Se a IES não colocar trabalho com os ingressantes como uma das principais prioridades, todo o processo de retenção ficará prejudicado. É este o momento mais importante de focar na retenção, porque é no início do curso que se encontra o maior número de saídas.

- Apoio – O apoio é uma condição que ajuda a promover o sucesso do estudante. Existem três tipos: acadêmico, psicológico e social/financeiro.

 

O acadêmico se dá na forma de cursos, aulas, projetos e programas de nivelamento e reforço. O psicológico é feito por aconselhamento, orientação e mentoria. O social e o financeiro são para atender as demandas dos universitários em condições econômicas adversas.

Rogério Moreira Scheidegger é gestor educacional e especialista na área de retenção de alunos.