Inovação 20 | humus

ARTIGOS

Inovação/Tecnologia

5 passos para inovar em empresas tradicionais

Quanto mais tradicional é uma empresa, maior é a necessidade e a urgência que ela tem em inovar. Isso não significa que elas devam abandonar as boas práticas que as tornaram forte, mas empresas que estão no processo de amadurecimento digital têm não só inovado mais do que as empresas tradicionais, como estão começando a inovar de forma diferente, já que os aspectos culturais e organizacionais impulsionam o processo inovativo, mais do que a própria tecnologia.

Inovação não combina com o medo de errar, mas infelizmente no Brasil ainda há pouca cultura para tratar o erro como uma possibilidade de aprendizagem. Há muito drama, pouca avaliação e exagerada ênfase na punição ao invés da correção.

Se você está incomodado com a falta de abertura e autonomia para ter velocidade e impacto da inovação em sua empresa, talvez já tenha percebido que estes são os maiores obstáculos tanto para as empresas tradicionais, quanto para as que estão em maturidade digital, juntamente com o equilíbrio da governança corporativa e o estabelecimento de políticas estratégicas que vão ao encontro dos interesses sociais e éticos do seu público.

A cultura é mais difícil de mudar do que a estratégia. Veja algumas dessas diferenças entre Empresas Tradicionais e Empresas em estágio de maturidade digital no quadro a seguir:

Se mudar de empresa não é uma opção para você no momento, a sua melhor escolha é continuar mudando a empresa em que você está buscando hackear a cultura. Em tempo, o termo hackear é frequentemente utilizado de maneira pejorativa, mas neste artigo recorremos à sua etimologia que significa decifrar e obter soluções melhores e inesperadas em relação a um projeto originalmente estabelecido.

Dessa forma, quando sugiro hackear a cultura de uma empresa que ainda não se deu conta da urgência da mudança, convido você a tomar posse da cultura organizacional original e a partir dela liderar seu time em um longo processo de mudança. Para isso, você precisará de uma equipe tão convencida da necessidade da mudança, quanto você mesmo. Esse é o primeiro e mais importante passo para a inovação. Vejamos cada um deles a seguir:

1.   Time da mudança

A escolha das pessoas que farão parte dessa equipe deve ser baseada na confiança, capacidade de transformação e crença na mudança. Busque uma configuração de equipe de trabalho multidisciplinar e distribuída para aumentar sua agilidade e colaborações dos ecossistemas digitais. Proteja sua equipe, compartilhe informações e colabore em projetos comuns para que o time ganhe a confiança de todos. Lembre-se, os resultados serão do grupo e não dos indivíduos. Isso, por si só, já será uma mudança cultural importante na empresa.

2.   Inspiração é motivação

Um dos aspectos que impedem a inovação é o controle excessivo, o microgerenciamento e a centralização. Construir e manter uma relação inspiradora nesse time multifuncional e autônomo garantirá a liberdade necessária para criar e inovar. Dê um sentido maior do que a sua empresa. Os valores e ideais que unem esse grupo devem estar amarrados a uma visão clara, objetiva e principalmente que faça sentido para contagiar novos atores.

3.   Aprender junto

Acreditar que se detém todo o conhecimento e que é preciso moldar os colaboradores ao seu modelo, é uma barreira gigantesca para se aprender algo novo. É preciso estar disposto a investir tempo para aprender junto, com pesquisa e experimentação. No começo será mais fácil estabelecendo uma periodicidade de trocas da equipe, mesmo fora do horário de trabalho, até que se alcance uma fluidez comunicativa por meio de ferramentas digitais que sustentem a manutenção desse espaço de práticas de aprendizagem.

4.   Inovar sem fazer barulho

É mais importante levantar suas ideias, não sua voz. Empresas intolerantes ao erro podem abortar as ideias antes da sua prototipação. Por isso, busque meios discretos para viabilizar os testes da inovação, mas não confunda silêncio com segredo. Atue sempre às claras e principalmente documente todas as fases de desenvolvimento registrando a informação para a companhia. Independentemente do resultado do projeto é importante gerar aprendizado com erros e acertos e fazer a gestão de conhecimento para construir as soluções de valor para empresa.

5.   Persista na mudança

Nesta abordagem somente os resultados de sucesso são capazes de falar pela equipe. O êxito na inovação não é fácil e pode exigir bem mais de uma tentativa para ser alcançado. Entenda que é realmente um tempo necessário, afinal para completar uma maratona é preciso dar cada um dos passos do seu trajeto.

A verdadeira inovação acontece conectada ao negócio, portanto construa sobre a inovação. Essas conquistas são apenas o começo daquilo que precisa ser feito para alcançar a mudança em longo prazo.

Vale ressaltar que para empresas abertas à mudança, e que escolheram inovar, o percurso é um tanto diferente. Mas esse já é um caminho possível para empresas mais tradicionais. Esses cinco primeiros passos vão expandir a cultura de inovação diante da inércia organizacional e abrirão caminho para muitas outras mudanças. 

Emanuel Santana é diretor de sistema de ensino e inovação na CNEC e foi palestrante no GEduc 2019. Agende-se para o GEduc 2020. As inscrições estarão abertas em breve!